Produza a química da felicidade…

O que é felicidade?
13 de outubro de 2015
Ser normal, ou não ser, eis a questão
13 de outubro de 2015
Mostrar tudo

Esse artigo é o segundo da série “Felicidade, um jeito de viver”. O objetivo dos artigos não é ensinar felicidade, mas, apresentar reflexões, questionamentos e dicas sobre realização pessoal para que você analise e adapte à sua realidade, de acordo com a sua própria definição felicidade.

Neste artigo vamos tratar da química da felicidade, ou seja, quando você está se sentindo feliz, tomado pelo estado de alegria e entusiasmo em sua mente, isso influenciará positivamente a sua fisiologia.

Sentir e expressar felicidade são escolhas inteligentes que te ajudam a adotar uma postura positiva na vida. Você pode aprender a se colocar constantemente em um estado de alegria e felicidade. O corpo e a mente fazem parte do mesmo sistema, ou seja, os pensamentos influenciam instantaneamente a nossa tensão muscular, a nossa respiração e postura corporal. Não há como mudar o estado mental sem mudar a fisiologia. Isso significa que, quando estamos felizes, o corpo está feliz. Uma pessoa que expressa felicidade produz neurotransmissores ligados ao bem-estar e prazer.

Então, você pode ficar mais consciente para usar a sua fisiologia para produzir e expressar mais felicidade, e com isso, fazer dela um jeito de viver e encarar os desafios que a vida apresenta. A neurocientista Suzana Herculano, no livro “fique de bem com o seu cérebro”, afirma que “embora a felicidade comece no cérebro, ela precisa se expressar no corpo e se estampar em um sorriso para que você tenha a sensação plena de felicidade”. Então, quando você adota uma postura alegre o corpo vai estimular o cérebro a produzir substâncias associadas a esse estado. Uma expressão facial de felicidade, um sorriso, faz ativar estruturas no cérebro que conduzem ao estado de felicidade.
A ciência vem demonstrando que uma pessoa que está feliz apresenta uma resposta imunológica mais eficaz. Pesquisas realizadas na University College, em Londres mostraram que o sistema cardiovascular de uma pessoa feliz funciona melhor. Há uma correlação entre felicidade e o bom funcionamento do sistema circulatório. Os pesquisadores identificaram que pessoas mais felizes liberam menor quantidade de cortisol, substância que contribui para a hipertensão. “A felicidade é um santo remédio para o corpo e para a mente. É um antídoto contra o estresse melhor do que muitas drogas vendidas em farmácias, não apresenta contra indicações nem limitação etária”. (Suzana Herculano – 2007)
Se você se mantém numa postura de desanimo, de insatisfação, o seu corpo expressará tais sentimentos e isso vai contaminando você e os outros que estão ao seu redor. Mas, se você apresenta um semblante alegre, otimista, o seu cérebro vai potencializar esse estado. É importante ressaltar que uma pessoa pode se sentir infeliz por vários fatores, tanto bioquímicos, como também, pela falta de perspectiva de vida, crenças negativas, baixa autoestima entre outros.

Veja, por exemplo, as pessoas que expressam felicidade, aquelas que sempre estão de bem com a vida. Elas não andam curvadas, nem de cabeça baixa, pois estão na maioria das vezes de bom astral, se acostumaram a se manter numa postura vital.
Veja as dicas a seguir para expressar mais felicidade em sua vida:

– Ouça e sinta seu corpo. Pergunte-se de vez em quando: como estou me sentindo? Como está a minha fisiologia? Melhore seu estado interior ajustando sua postura corporal;

– Sorria mais. Quando você sorri, os músculos relaxam e o cérebro produz substâncias químicas, entre elas a dopamina e a endorfina, dando origem a estados positivos;

– Respire corretamente, alinhe seus ombros e olhe para frente, isso vai melhorar o seu estado interior;

– Aceite você como você é. Muitas pessoas não são o que elas acreditam que são, elas acham que estão passando uma determinada imagem quando na verdade passam uma imagem contrária. Depois ficam desapontadas. Seja você mesmo, expresse sua felicidade com naturalidade.

O próximo artigo será sobre “felicidade nos relacionamentos”. Até o próximo artigo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *